Você já teve curiosidade de saber o que alguém escreve nas próprias conversas de WhatsApp? Com certeza isso passa pela cabeça de muitas pessoas.

Então se você é uma dessas pessoas, confira alguns aplicativos que tornam essa ação possível. Esses apps podem ajudar pais e mães que queiram monitorar as conversas dos seus filhos menores de idade.

Publicidade

Por isso, neste artigo, vamos listar algumas alternativas.

Veja conversas do WhatsApp de outra pessoa

Phonsee

Essa tecnologia está disponível para Android e iOS. Na descrição da plataforma, consta que você trata-se de um “rastreador avançado de celulares” e que você poderá monitorar principalmente a atividade de quem você ama de maneira discreta. Confira como baixá-lo aqui.

Parentaler

O sistema é voltado sobretudo aos pais que querem ficar de olho nos filhos. Nele inclusive é possível ter acesso à geolocalização da criança/adolescente. Acesse aqui para fazer download.

Descobrindo o Segredo

Esse app não é gratuito. Os valores começam a partir de R$ 49. Você conseguirá monitorar não só o WhatsApp, assim como também outras redes sociais. Confira aqui.

mSpy

A plataforma se descreve como “o melhor rastreador para controle parental” e promete monitorar “cada tela e cada toque”. Acesse o site aqui.

EyeZy

Também na linha de descrições persuasivas, o app afirma ser “o melhor e mais poderoso software para monitorar celular”. Veja os detalhes aqui.

conversas do WhatsApp
Foto: Torsten Dettlaff/Pexels

SpyBubble

Reúne funções semelhantes aos outros já citados. Além disso, possui uma versão gratuita para testes. Acesse o site aqui.

GeoFinder

Dá acesso às mensagens, chamadas e localização. Então, pode ser ideal para o seu interesse em monitorar alguém. Veja detalhes aqui.

Cuidado

Antes de encerrar, vale fazer uma ressalva: acessar as informações e conversas do WhatsApp de alguém sem autorização pode ser considerada uma atitude ilícita, inclusive levando à multa e reclusão. Portanto, pense bem nas suas intenções antes de agir sem responsabilidade por aí.

Leia também: Como recuperar fotos apagadas

Para outros conteúdos, siga acessando Jornal Positivo!